Maio 2007


  Prato Prato 2

Começa hoje a 13º Festa Ibérica da Olaria e do Barro, evento que pretende assinalar o valor e significado desta manifestação artesanal, na economia da região.
O certame é promovido pela Câmara de Reguengos de Monsaraz  e pelos dois maiores centros oleiros da Península Ibérica S. Pedro do Corval e Salvatierra de los Barros (Espanha), juntam-se, a partir de hoje, para a Festa Ibérica da Olaria e do Barro, em Reguengos de Monsaraz (Évora), decorre até domingo, juntando 73 olarias de várias localidades da Península Ibérica. Com esta iniciativa, o município alentejano quer promover, turística e culturalmente, uma das mais-valias do concelho, a olaria, com larga tradição em S. Pedro do Corval, onde ainda existem 26 olarias em actividade.
No início da década de 90, existiam 33 olarias tradicionais e, hoje, já só restam 26. Ainda é um número considerável,  têm havido alguns encerramentos, as dificuldades económicas também se têm feito sentir nesta actividade tradicional, ao mesmo tempo que os artesãos «não se têm conseguido adaptar à evolução do mercado».
Tem de haver mais alguma agressividade, mas a culpa nem é dos oleiros. As próprias instituições que os apoiam, como as autarquias e as associações, também têm que criar ligações e canais de distribuição».
Num concelho em que as primeiras referências à olaria datam de 1276, ano da atribuição do foral afonsino a Monsaraz, então sede do município, Reguengos de Monsaraz não podemos deixar «morrer» essa actividade. O programa da festa prevê para sexta-feira a realização de Jornadas Ibéricas de Olaria e Cerâmica, com a participação de especialistas, investigadores, arqueólogos e artesãos.

Ver Programa

encontro-de-nacional-de-caminheiros-128.jpg

No saber trabalhar, amar e sofrer, está a arte de bem viver.

 Ao sabor da escrita

 doc.gif Artigo – Basta de violência doméstica! – Querubim Peregrino

O amigo António Delgado do Ecos e Comentários enviou-me um MEME para falar de um lugar que eu considere, muito especial em Portugal. Esta pedido nasce da ideia de mostrar lugares mágicos do planeta e falar das emoções que produzem ao vê-los. Para que o jogo não pare, escolhem-se cinco novos blogs para continuar esta ideia de divulgação. É com alguma atraso que dou seguimento a esta corrente , escolhi este lugar porque além de ser no Alentejo fica situado num dos concelhos mais pobres da Europa, pode ser também considerada uma das regiões onde a mão do homem menos danificou a natureza e de facto é um lugar mágico…

 

endovelico.jpg


Santuário do Endovélico
Localização: S. Miguel da Mota (Terena – Alandroal)
Descrição: Ruínas de um importante santuário de uma divindade pré-latina chamada Endovélico. O que sabemos hoje desta divindade resulta essencialmente de um conjunto de mais de oitenta inscrições latinas recolhidas ao longo de quatrocentos anos no local. O nome apresenta variantes, por vezes significativas – Endovelicus, Endovellicus, Indovelicus, Enobolicus, de significado ainda discutido.O seu culto teve uma aceitação extraordinária no período romano, verificando-se que entre os seus cultuantes se encontra uma grande diversidade de pessoas.
A riqueza do santuário manifesta-se na estatuária encontrada nas proximidades, entre elas fragmentos que alguns autores pretenderam identificar com representações da própria divindade. Encontram-se actualmente, em grande parte, no Museu Nacional de Arqueologia.
Escavações arqueológicas trouxeram à superfície 6 esculturas romanas, em mármore, consideradas uma raridade.
A D. Teotónio de Bragança devemos a primeira recolha epigráfica dai proveniente, remontando ao séc XVI. André de Resende, Frei Bernardo de Brito e posteriormente Leite de Vasconcellos e Scarlat Lambrino, mas também muitos autores se ocuparam do estudo desta divindade, sem dúvida um caso único, pela quantidade de testemunhos associados a um único santuário.

Muito há ainda por estudar neste lugar mágico…

Acesso: EN 373 de Alandroal para Redondo, ao Km 6, seguir as placas que se apresentam à esquerda.

Na verdade quem se deslocar ao santuário pode desfrutar da magnifica e mágica paisagem…
Ver fotos:

Os blogs a quem passo este Meme:

 

O Restaurador da Independência , Querubim Peregrino, Canto Poético, Abafos & Desabafos, Bairro do Amor

Sem rosto… mas com sentimentos !!!

Muslim Woman

Há um longo caminho a efectuar para que os rostos e os sentimentos possam aparecer aos olhos de todos !!!

Ler mais em – Momentos & Documentos e Ecos e Comentarios

Azinheira

O Ludovicus do Momentos Breves e a Alzira Hemriques do Alcobaça. gentes e frentes passaram-me um “Meme”(*) ao qual devo dar seguimento… No final do poste indico seis blogues que irei castigar, para que prossigam este “Meme”.

Obrigado Ludovicus e Alzira pela distinção.

……………………………………………………………………………..

(*) Um “meme” é um “gen ou gene cultural” que envolve algum conhecimento que passas a outros contemporâneos ou a teus descendentes. Os memes podem ser ideias ou partes de ideias, linguas sons, desenhos, capacidades, valores estéticos e morais, ou qualquer outra coisa que possa ser aprendida facilmente e transmitida enquanto unidade autónoma.Simplificando: é um comentário, uma frase, uma ideia que rapidamente é propagada pela Web, usualmente por meio de blogues.O neologismo “memes” foi criado por Richard Dawkins dada a sua semelhança fonética com o termo “genes”.

…………………………………………………………………..

Existem talvez hoje outros conhecimentos a adquirir, outras interrogações a formular, partindo, não daquilo que os outros souberam mas daquilo que ignoram.

                                                                                                                            Serge Moscovici

                                                    …………………………………………..

Passo o “meme” a,

O Restaurador da independência; Momentos & documentos; Canto Poético; Bairro do Amor; Alcobaça ecos e comentários; Kruzes Canhoto

A minha mãe…

Com três letrinhas apenas

Se escreve a palavra Mãe

é das palavras  mais pequenas

 a maior que o Mundo tem !!!

Rocha dos Namorados

 

O Prometido é devido vou hoje apresentar a Rocha dos Namorados em forma de útero- Conhecida na povoação de S. Pedro do Corval por Rocha do Casar, pelo facto de nela se praticar, como que um ritual, em que as raparigas solteiras se colocam num determinado ponto e de costas atiram com a mão esquerda pedras para o cimo da rocha, quantas forem as pedras atiradas sem ficarem no topo da rocha assim são os anos que faltam para contrair matrimónio.

Rocha dos Namorados 2

– segundo Vitor Gonçalves é um raro exemplo de litolatria, evidencia a continuidade dos cultos relacionados com a fecundidade, aos quais, aparecem muitas vezes associados antas e menires como este. A Associação moderna e mesmo contemporânea de antas e menires a cultos da fecundidade está amplamente registada, como é o caso do sítio extremenho da Porra del Burro.